Católicos vivendo a igreja plena

Tão simples como conectar no Wi Fi.
Play Coberturas Fotos Notícias Conheça nosso sistema de Video Wall

AO VIVO

GALERIA DE FOTOS

PLAY VÍDEO

NOTÍCIAS

PROMOÇÕES

WEBRÁDIO

VIDA DOS SANTOS

EQUIPE

ESPIRITUALIDADE

Nossos Serviços

Sites

Sites e portais dinâmicos, desenvolvidos nas necessidade de comunicação das paróquias, comunidades, colégios, instituições, empresas e segmentos católicos.

Conheça

Aplicativos

Soluções integradas para todas as áreas de sua empresa. Aplicativos móveis integrados com sistemas web. Tecnologia de ponta! Android e IOS.

Conheça

Coberturas

Comunicar é a parte do Negócio. Transmissões ao vivo de eventos através de nossa Web TV. Coberturas Fotograficas e produção de Web Matérias. Contrate aqui...

Conheça

Comunicação Católica

Tão simples como conectar no Wi Fi - Profissionais dedicados a criação e gerenciamento da comunicação digital da sua paróquia.

Conheça

Quem já fez!

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

I Encontro Nacional de Agências Católicas na CNBB

Encontro busca estimular maior integração entre os grupos profissionais católicos que atuam no campo da comunicação e publicidade.

A Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promoverá o I Encontro Nacional de Agências Católicas, no dia 22 de setembro, na sede da Conferência, em Brasília (DF). A reunião tem por objetivo iniciar um processo de maior integração dos grupos profissionais no campo da comunicação e publicidade que se autodenominam católicos. O bispo auxiliar de Porto Alegre, dom Leomar Brustolin, vai fazer uma conferência sobre a importância de usar os instrumentos de comunicação à serviço da fé.

“Esperamos que este encontro venha favorecer um contato fraterno entre os trabalhadores da comunicação no campo eclesial com o acento profissional. Ainda que se compreenda bem que se tratam de empresários, são cristãos católicos que querem servir à Igreja”, afirma o assessor da Comissão e coordenador do encontro, padre Rafael Vieira.

O contato das agências com a CNBB tem sido realizado, de modo geral, por meio da cooperação em alguns projetos especiais, mas essa é a primeira vez que se busca uma articulação desse grupo de profissionais católicos que acompanham paróquias e dioceses no campo da comunicação. “Uma ocasião na qual os profissionais católicos da área de publicidade possam se conhecer um pouco mais e ouvir da parte da CNBB uma palavra que pode ajudar na inspiração e animação do trabalho será de grande valia”, considera padre Rafael.


A estrutura da reunião foi pensada de modo que possa ajudar aqueles que não têm intenção de permanecer em Brasília e, assim, evitar gastos com outras despesas. O encontro iniciará às 10h e terminará por volta das 16h. Para participar, pede-se um investimento de 100 reais que deve ser feito na abertura da reunião e vai incluir o almoço no refeitório da própria Conferência.

O site Católicos VIP vai ser representado pelo Marcelino Eloy Delminio, CEO da agência, que se quer estar integrado cada vez mais com as diretrizes da igreja, no atendimento aos serviços que prestamos em comunicação voltados as dioceses, paróquias, mecanismos e agências.


terça-feira, 6 de setembro de 2016

“Dar oportunidade é proporcionar condições para que mal não aconteça”

A Campanha “Dê Oportunidade. Faça diferente, ninguém nasce infrator” foi lançada nesta segunda-feira, dia 5, na sede da CNBB, em Brasília (DF). A iniciativa da Pastoral do Menor Nacional (Pamen) e da Conferência dos Bispos, que envolve outras 23 instituições, tem o objetivo de levar à sociedade um outro olhar sobre o adolescente que cometeu ato infracional. O bispo de Amparo (SP) e referencial da Pastoral, dom Luiz Gonzaga Fechio, ressaltou que “dar oportunidade não é apenas correr para aliviar as consequências de um grande mal cometido, mas proporcionar condições para que esse mal não aconteça”.
O evento de lançamento da Campanha Dê Oportunidade foi marcado pela presença de jovens e agentes da Pamen de todo o Brasil, que iniciaram a cerimônia com um momento de oração com cantos e leitura do Evangelho. Também estiveram presentes os representantes das diversas instituições que participam como parceiras da iniciativa.
Maioridade Penal
O bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, relacionou a proposta da Campanha com a tramitação e o debate de projetos que visam a diminuição da maioridade penal. “Diante da tentativa de diminuir a maioridade penal, a nossa campanha é muito importante. Com a redução, nós não estamos diminuindo uma idade, uma cronologia, nós estamos diminuindo oportunidades, a participação livre desses nossos irmãos e irmãs. Diminuir a maioridade penal é poder dar chance a tantos abusos”, sublinhou. Dom Leonardo ainda enfatizou que “com a diminuição da maioridade penal, há princípios fundamentais da maturação humana colocados em cheque”.
Oportunidade
Dom Luiz Gonzaga Fechio disse que a campanha é uma denúncia e um apelo. “A campanha ‘Dê oportunidade’ denuncia um hábito, um costume arraigado na nossa cultura, de rapidamente as pessoas se darem o direito de fazerem um diagnóstico e atribuir, não apenas um juízo, mas às vezes uma sentença de condenação”, falou.
O bispo explicou que antes de pensar em uma punição a campanha evidencia que a criança e o adolescente precisam de oportunidade. “E se for o caso de punição, que aconteça nos moldes das medidas socioeducativas”, afirmou.
Dom Fechio mencionou, ainda, o fato de a campanha da Pastoral do Menor Nacional ser realizada durante o Jubileu Extraordinário da Misericórdia. “É para exercitarmos a misericórdia, não só enquanto perdão, mas favorecimento de chances, de oportunidades, ocasiões propicias para a promoção da dignidade”, disse.
Para o referencial da Pastoral, as oportunidades acontecem não só com boa vontade, mas “com condições favoráveis que em grande parte dependem da família, e de modo especial da política”.
Objetivo
A Campanha da Pastoral do Menor, da CNBB e outras 23 entidades, como a Pastoral Carcerária, Pastoral da Juventude, Cáritas Brasileira e a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), querem informar, esclarecer e sensibilizar a sociedade sobre o significado humano, social e político das Medidas Socioeducativas (MSE) para a vida da sociedade e dos adolescentes autores de atos infracionais. Outra intenção é pautar os governos e executores das políticas públicas e todos os atores dos Sistema de Garantia dos Direitos sobre as necessidade de fortalecimento a aprimoramento do Sistema Socioeducativo (Sinase). A campanha também divulgará as práticas exitosas na efetivação das MSE nos projetos da Pastoral do Menor e nos de seus parceiros.
“Queremos arregaçar as nossas mangas, fazer debates, levar para os diversos ambientes esse debate e reflexão. Essa Campanha, certamente, vai nos despertar mais para a necessidade da implementação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”, disse dom Leonardo Steiner.
O coordenador nacional da Pastoral do Menor, André Franzini, falou das ações e a articulação das atividades nos estados, além da criação de uma metodologia para os trabalhos junto com os parceiros e instâncias regionais.
Para Franzini, não é preciso somente melhorar as medidas socioeducativas que atendem aos jovens infratores, “mas estabelecer um profundo processo de humanização das pessoas”. Ele também destacou que é preciso “pautar a melhoria das políticas públicas para que as pessoas vivam e ressignifiquem suas vidas a partir da humanização”.
Presente no evento, o bispo de Caxias (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, dom Vilsom Basso, ressaltou a parceria das Pastorais Juvenis na Campanha. “De fato, como costumo dizer aos jovens, estamos juntos nesta Campanha proativa, positiva, humanizadora”. Dom Vilsom lembrou do envolvimento de quase meio milhão de jovens na página dos Jovens Conectados no Facebook.
Materiais
A coordenadora da Pamen na região Norte, Francelina Araújo, apresentou os materiais preparados para a Campanha. Antes de discorrer sobre cada subsídio, comentou sobre cinco fotos mostradas pelo coordenador nacional, André Franzini, que retratavam uma realidade enfrentada por menores nas unidades de internação. “A gente não quer mais ver os meninos sendo torturados, quer que de fato tenham uma oportunidade e consigam ressiginificar seu projeto de vida”, disse.
Francelina explicou a logomarca utilizada na campanha. Um quebra-cabeça sugere a reconstrução da vida dos adolescentes e tem a representação das cores das regiões brasileiras.
O material impresso, que deve colaborar com a realização de oficinas, rodas de conversas, seminários e audiências públicas é composto por três cartilhas: metodológica, de experiências exitosas e de bolso.
De acordo com Francelina, a cartilha metodológica será um suporte para oficinas argumentativas. O material possui artigos sobre a responsabilização do adolescente, o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) e o Sistema Único de Assistência Social (Suas), o fluxo de atendimento de jovens infratores e sobre as políticas sociais e preventivas. O subsídio ainda apresenta sugestão de dinâmicas para a realização de oficinas.
A segunda cartilha é reservada para testemunhos e relatos de experiências exitosas na efetivação das medidas socioeducativas nos diversos projetos que a Pamen está envolvida.
Voltada para adolescentes e jovens, a cartilha de bolso oferece informações básicas sobre as medidas socioeducativas, os direitos das crianças e adolescentes.
Palavra dos jovens
Cinco jovens envolvidos nos diversos trabalhos da Pastoral do Menor, nas quatro áreas de atuação – atendimento a crianças e adolescentes em situação de risco pessoal e social; adolescente autor(a) de ato infracional; famílias de crianças e adolescentes; e na busca por políticas públicas de promoção e defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes – compartilharam experiências e impressões sobre a Campanha.
Representando a região Norte, Thamilles Franco falou sobre a participação dos adolescentes e das experiências de oportunidades em sua região. “Sabemos a importância e a essencialidade da presença e participação das crianças e adolescentes nos espaços de construção”, disse, lembrando dos grêmios estudantis e conselhos municipais e estaduais. Considerando as crianças e os adolescentes como sujeitos e protagonistas de suas histórias, Thamilles afirmou ser “difícil falar, fazer e elaborar algo referente à criança e ao adolescente sem ter a opinião dele, sem o ter participando”.
A adolescente citou o projeto “Ressignificando os caminhos através da socioeducação” como exemplo de oportunidade em seu estado, o Pará, por oferecer cursos e oficinas, além de trabalhar a assistência social, cultural e religiosa.
Maria Gabriele Ferreira, do estado do Rio Grande do Norte, falou pela região Nordeste. Sua intervenção foi relacionada à importância da Campanha no protagonismo juvenil na sociedade. A adolescente considera que a campanha “tem por obrigação corrigir um erro social”, uma vez que no Brasil “é muito mais fácil jogar um adolescente na prisão do que educa-lo, puni-lo do que proporcionar uma educação melhor, uma saúde melhor, proporcionar oportunidades, projetos que incentivem ele a andar no caminho correto”. Maria Gabriele ainda relatou uma experiência de quando era reprimida ao falar sobre política por ser muita nova. “Eu prefiro ser uma jovem sábia a ser um adulto analfabeto político”, exclamou seguida de uma salva de palmas.
Representante da região Sul, Daniel Felipe Araitz, destacou como objetivo da Campanha “levar à sociedade que nenhuma criança, nenhum adolescente nasce infrator”. Falando sobre a redução da maioridade penal, recitou um poema de Fábio Brazza sobre o tema, cujos primeiros versos denunciam: “É uma pena, querem aumentar a pena e diminuir a idade / Como se isso fosse diminuir a criminalidade / Mas isso só diminui a nossa sociedade”.
Do Centro Oeste, Giovana Leite contou que acredita na Campanha, pois conhece jovens que eram desacreditados e que conseguiram mudar sua realidade por meio dos projetos realizados em Campo Grande (MS). “Se reduzirem a maioridade penal muitos adolescentes não vão ter a oportunidade de mudar”, afirmou lembrando dos debates em torno da redução da maioridade penal.
Diego Gonçalves, 20 anos, da região sudeste, contou sua experiência pessoal com as medidas socioeducativas. Após envolver-se com a criminalidade, teve uma série de idas e vindas da Fundação Casa, no estado de São Paulo, onde teve a oportunidade de estudar e fazer cursos profissionalizantes. Mas o então adolescente “jogou as oportunidades para o ar”. Ao completar a maioridade continuou envolvido com drogas e ficou preso por um ano e dois meses. Chocado com a realidade prisional, Diego lembrou das oportunidades perdidas quando menor e do trabalho da Pamen, que sempre fora oferecido. “Eu sou aquele filho pródigo. Na hora que eu voltei, a Pastoral do Menor estava de braços abertos para me acolher”, testemunhou.
A Campanha da Pamen é voltada para gestores de políticas públicas, sistema judiciário, conselhos de controle social e tutelares, educadores sociais, adolescentes, escolas, representantes de comunidades e movimentos sociais em geral. Os materiais estão disponíveis no site da Pastoral.
Por CNBB

Escolha de obras de artistas brasileiros para exposição em Aparecida

O Santuário Nacional de Aparecida vai lançar um concurso para artistas brasileiros. A iniciativa está sendo organizada pela Academia Marial de Aparecida dentro da comemoração dos 300 anos da pesca milagrosa da Imagem de Nossa Senhora nas águas do Rio Paraíba.
O concurso pretende reunir obras de diversos artistas, sejam artesãos, escultores, pintores, artistas plásticos, entre outros, como forma de homenagem à Rainha e Padroeira do Brasil na celebração do Jubileu Tricentenário.
“Estamos preparando esta exposição e queremos uma exposição grandiosa. O tema gira em torno de ‘Aparecida’. Vamos expor somente peças sobre Nossa Senhora Aparecida e será muito mesclada. Esperamos receber telas, imagens, postais, selos, louças, esculturas, entre outros”, explicou o diretor da Academia Marial, padre Valdivino Guimarães, C.Ss.R.
As obras serão avaliadas em seu valor artístico e religioso e as que forem escolhidas serão expostas ao público no segundo semestre de 2017. O regulamento com os critérios, informações sobre a inscrição da obra e como será a participação na exposição serão divulgados na solenidade do dia 12 de outubro.
A exposição dessas obras no Santuário Nacional de Aparecida ocorrerá em dois momentos: para o público com data e local a ser definido pela organização e depois durante o Congresso Mariológico que vai ocorrer de 9 a 12 de agosto de 2017.
“Queremos fazer uma homenagem a Nossa Senhora Aparecida em vista dos 300 anos e pensamos em organizar essa exposição de forma plural para que todos aqueles que quiserem mandem as suas obras para serem expostas”, frisou o diretor.
Sobre a quantidade de peças, padre Valdivino espera reunir 300 obras para marcar o Jubileu de 2017. “A exposição celebrará os 300 anos. Por isso a nossa expectativa é reunir 300 obras”, determinou.
:: Mais informações com a Academia Marial de Aparecida no telefone: (12) 3104-1549, e-mail: academia@santuarionacional.com.
Jubileu “300 anos de bênçãos”
A imagem milagrosa de Nossa Senhora Aparecida foi encontrada no rio Paraíba do Sul no ano de 1717. Portanto, em 2017 a aparição da imagem completará 300 anos. Em comemoração à data, o Santuário Nacional de Aparecida promove o Jubileu “300 anos de bênçãos”, com uma programação devocional e obras de fé que estão preparando todo o povo brasileiro para o grandioso tricentenário. Mais informações na página do Santuário Nacional.
Por A12


quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Papa cria novo Organismo para o Desenvolvimento Humano Integral

Com uma Carta Apostólica em forma de Motu proprio o Papa instituiu nesta quarta-feira (31/08), o novo Organismo para o “Serviço do Desenvolvimento Humano Integral” (“Humanam progressionem su istituzione”).
Em todo o seu ser e agir, diz o Papa no Motu proprio, a Igreja é chamada a promover o desenvolvimento integral do homem à luz do Evangelho. Tal desenvolvimento se atua mediante o cuidado dos bens incomensuráveis da justiça, da paz e da proteção da criação.
Francisco, na sua obra em prol da afirmação de tais valores, adapta continuamente os organismos que com ele colaboram, para que possam atender melhor às exigências dos homens e mulheres, que são chamados a servir.
Portanto, a fim de implementar a solicitude da Santa Sé nos âmbitos mencionados, bem como aqueles relacionados com a saúde e as obras de caridade, o Papa institui o novo Organismo da Santa Sé para o “Serviço do Desenvolvimento Humano Integral”.
Diretrizes
Este Organismo tem competências, de modo particular, nas áreas relacionadas com as migrações, os necessitados, os enfermos e excluídos, os marginalizados e as vítimas dos conflitos armados e desastres naturais, os encarcerados, os desempregados e as vítimas de qualquer forma de escravidão e de tortura.
O novo Organismo, com um Estatuto próprio “ad experimentum”, começará suas atividades a partir de 1º de janeiro de 2017, e vai englobar os atuais Pontifícios Conselhos: Justiça e Paz, “Cor Unum”, Pastoral dos Migrantes e Itinerantes e Pastoral no Campo da Saúde. A partir desta data, estes quatro Pontifícios Conselhos cessarão as suas atividades.
Tais liberações terão caráter firme e estável, não obstante quaisquer disposições contrárias, mesmo se dignas de menção particular.
Novo prefeito
O Papa nomeou o Cardeal Peter Kodwo Appiah Turkson, até agora Presidente do Pontifício Conselho da Justiça e da Paz, Prefeito do novo Organismo da Santa Sé para o “Serviço do Desenvolvimento Humano Integral”.

Por Rádio Vaticano

Papa na catequese: Deus acolhe os descartados pelo homem

 A misericórdia oferece dignidade. Este foi o tema da catequese do Papa Francisco nesta quarta-feira, 31, na Praça São Pedro. Francisco pontuou sua reflexão com base nos relatos bíblicos sobre a mulher que foi salva por sua fé, dando ênfase para o fato de que Deus sempre acolhe aqueles que foram descartados pela sociedade.
O trecho do Evangelho de Mateus conta o episódio em que Jesus curou uma mulher que sofria com hemorragias. Por esse problema, ela era considerada impura e excluída da sociedade. Segundo o Papa, este caso faz refletir sobre como a mulher seja frequentemente percebida e representada.
“Todos devemos prestar atenção, também as comunidades cristãs, para óticas da feminilidade cheias de preconceitos e suspeitas que lesam a intangível dignidade da mulher”, alertou o Pontífice.
Jesus admirou a fé desta mulher e teve um olhar de misericórdia e ternura para ela, transformando sua esperança em salvação. “Isto significa que Jesus não somente a acolhe, mas a considera digna de tal encontro ao ponto de lhe dirigir a sua palavra e sua atenção”.
O encorajamento que Jesus fez à mulher – “coragem, filha, tua fé te salvou” – ecoa também hoje, disse o Papa, uma vez que expressa a misericórdia de Deus por todas as pessoas descartadas.
“Quantas vezes nos sentimos interiormente descartados pelos nossos pecados, que tanto fizemos, que tanto fizemos. E o Senhor nos diz: ‘coragem, vem, para mim não és um descartado. Coragem filho, tu és um filho e uma filha’. Este é o momento da graça, do perdão, momento de inclusão na vida de Jesus, da Igreja, de misericórdia. Hoje todos nós, grande ou pequenos pecadores, mas todos somos pecadores, o Senhor nos diz: ‘vem, coragem, não estás mais descartado, eu te abraço, eu te perdoo’. Assim é a misericórdia de Deus. Temos que ter coragem e ir até ele, pedir perdão dos nossos pecados e seguir adiante com coragem como fez esta mulher”.
Por Canção Nova, com Rádio Vaticano

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Estudo revela que ir à Missa traz benefícios à saúde

Nos últimos anos vários estudos mostraram que praticar alguma religião traz benefícios para a saúde. O mais recente, realizado pela ‘Harvard Chan School of Public’, chamado ‘Association of religious service attendance with mortality among Women’ (Associação de assistência a serviços religiosos com mortalidade de mulheres), revelou que ir à Missa traz muitos benefícios para a saúde.
De acordo com o estudo, apresentado pelo Sistema Informativo da Arquidiocese do México (SIAME), as pessoas que assistem à Missa com regularidade, ou que são religiosos praticantes, tem 33% menos risco de falecer em comparação daquelas pessoas que não acodem à Igreja.
Para obter esta porcentagem, os pesquisadores relacionaram dados sobre a assistência a serviços religiosos e mortalidade entre as mulheres. Dados que foram arrecadados com mais de 74 mil mulheres entre os anos de 1992 a 2012, tendo em conta também outras considerações como antecedentes clínicos, estilos de vida e fatores demográficos.
Segundo a pesquisa, as mulheres que vão à Missa ou acodem a orar na Igreja pelo menos uma vez por semana tem 27% menos risco de enfermidade cardiovascular, e 21% menos risco de morrer por câncer.
O estudo conclui de maneira contundente: “A religião e a espiritualidade estão sendo um recurso pouco apreciado que os médicos deveriam explorar com seus pacientes”.
“Os que vão à Missa recebem de uma forma palpável os benefícios da graça divina”
Sobre este estudo se referiu o Padre Sergio G. Román, do México, que escreveu para SIAME: “A Missa não é um seguro de vida contra a morte, mas sim é um seguro de Vida Eterna que começa já desde esta mesma vida (…) Os que vão à Missa recebem de uma forma palpável os benefícios da graça divina que se manifestam em uma vida mais sã, mais ordenada, mais integrada à comunidade e mais harmônica no familiar”.
Além disso, “pertencer à Igreja é saudável”. Algo que se vê especialmente no “testemunho constante dos distanciados que retornaram ao seio da Igreja”.
“A enfermidade volta ao homem especialmente vulnerável e necessitado da misericórdia de Deus e por isso Jesus nos deixou como mandato não somente o pregar o Evangelho, mas o visitar e ungir aos enfermos. Seria muito interessante um estudo médico sobre a efetividade do sacramento da Unção dos Enfermos em seus pacientes. A experiência sacerdotal nos ensina que este santo sacramento atua maravilhosamente nos enfermos, dando-lhes fortaleza para lutar contra sua enfermidade, serenidade, tranquilidade de alma e muitas vezes, muito frequentemente, dando-lhes a saúde do corpo”, conclui o Padre Román.
Por Gaudium Press


Santa Sé promove exposição sobre Madre Teresa na ONU

A Missão de Observação Permanente da Santa Sé na ONU e a organização jurídica Alliance Defending Freedom (ADF, Aliança pela Defesa da Liberdade), exporão uma retrospectiva na sede de Nova York da Organização das Nações Unidas sobre a vida, obra e legado de Madre Teresa de Calcutá.
Vida e legado da santa para o mundo
A exposição sobre a fundadora das Missionárias da Caridade e sua obra em favor dos pobres, que será canonizada pelo Papa Francisco no próximo dia 4 de setembro, se intitula ‘A vida de Madre Teresa e seu legado para a ONU’ e será montada no edifício de conferências da sede da ONU em Nova York, de 6 a 9 de setembro.
No último dia, haverá uma conferência sobre a futura santa com testemunhos e painéis sobre sua vida e sua obra junto aos mais pobres, em defesa da paz e sem deixar ninguém para trás.
Em dezembro de 2015, o Papa Francisco aprovou os milagres necessários para declarar santa Teresa de Calcutá, vencedora do Prêmio Nobel da Paz em 1979.
Por Rádio Vaticano


Portfólio

Depoimentos

  • Dom Milton Santos

    Pedimos as benções de Deus para entrar no escritório do Católicos VIP...

  • Padre Osvaldo Scotti

    Eu vejo no Católicos VIP a essência de Dom Bosco, como ele envolvia os jovens na comunicação...

  • Padre Orozimbo de Paula

    Ao assumir a paróquia de São Gonçalo na cidade de Cuiabá, conheci o Católicos VIP, um trabalho de jovens missionários comprometidos com a igreja

  • Cantora Marília Melo

    Ola queridos, eu sou a Marília Mello e estou aqui para agradecer ao Católicos VIP, são pessoas muitos iluminadas por Deus muito preciosas, que acolheram meu minitério e me trouxeram pra Cuiabá-MT pela primeira vez...

  • Irmã Verônica Firmino

    Ola eu sou a irmã verônica Firmino das irmãs Paulinas, e venho aqui te convidar para conhecer o novo lay Out do site Católicos VIP...

73 Livros
46 do Antigo Testamento e 27 do Novo.
05 Dezenas
05 Pai Nosso e 50 Ave Maria
06 Horas Canônicas
Recitada por todos os fiéis católicos

Nossa Equipe

Nossos trabalhos são desenvolvidos por Missionários que entendem e vivem os ensinamentos da igreja, criando soluções criativas. Encaramos o nosso trabalho como missão de vida, pois, são nossos dons e por isso carinho e dedicação é encontrado em várias partes do projeto.

Anny Gabrielly
Reporter
Lyandra Campos
Reporter
Julyane Silva
Reporter
Alinne Bodenstein
Reporter

Contato

Fale Conosco

Bem-vindo! O nosso coração está na evangelização. Nascemos e existimos para junto com a Igreja Católica Apostólica Romana apoiar a pastoral de Comunicação com nossos serviços exclusivos!.

Endereço:

Rua Antônio João. 258, Sala 303 Centro- Edificio Presidente Dutra

Cuiabá / MT - Brasil

Email:

contato@catolicosvip.com.br

Telefones:

65 99227 3037 / 65 3691 7210